Sejam bem-vindos ao mundo da viola caipira.

Esse espaço é para todos aqueles que amam a viola caipira.

Os primeiros passos para aprender a tocar um instrumento são sempre os mais difíceis,e os caminhos são muito longos e que exige bastante esforço.
E por isso,é muito importante contar com um bom material de apoio.

Eu estou aqui para contribuir com o crescimento da nossa *viola caipira*,trazendo algumas imformações que vai ajudar no aprendizado de todos os amantes da viola.

Aqui você vai encontrar tudo sobre teoria,tecnicas,ritmos,acordes,cifras e muito mais para você aprender a tocar viola de uma vez por todas.

O objetivo aqui é direcionar o estudo da *viola caipira*,aos iniciantes e iniciados,visando uma linguagem bem simples e direta,para desenvolver o conhecimento necessário (Teórico e pratico),para que desta forma,toquem sem muitas dificuldades.

Vou deixar bem claro que para ter um resultado satisfatório dependerá,única e exclusivamente,da sua dedicação e perseverança nos estudos.

Então vamos entrar no mundo da *viola caipira*.

28 de jun de 2008

Cordas da *Viola Caipira*

Antes de começarmos o estudo do braço da viola,vamos conhecer o nome das cordas
quando tocadas soltas.

O instrumento tem um total de 10 cordas, e são unidas aos pares montando 5 pares e sempre contadas de baixo para cima:

No caso aqui a viola está afinada em Cebolão *E*

1º par - uníssono: E (agudo)

2º par - uníssono: B

3º par - oitavado: G#

4º par - oitavado: E

5º par - oitavado: B (grave)


20 de jun de 2008

Postura: As mãos.

Mão direita: mão usada para fazer a batida (ritmo), com o pulso alto e o seu braço direito apoiado no corpo da viola; Procure uma posição na qual se sinta o mais relaxado possível.

Nesta mão você pode usar os dedos; polegar (p), indicador ( i), médio (m) e anelar (a), ou a dedeira.

Mão esquerda: É a mão que monta os acordes, escalas, ponteios e etc...

Nesta mão você pode usar; (dedo1) Indicador, (dedo2) médio,

(dedo 3) anelar , (dedo 4) mindinho.


O polegar é o dedo de apoio, ficando atrás do braço da viola, sem deixar ele aparecer.
A mão fica em forma de uma concha, não deixando a palma da mão, encostar-se ao braço da viola.

È muito importante você posicionar a mão de uma forma correta no braço da viola;

Como citado na explicação da mão esquerda (veja a figura à cima como exemplo).

Por isso eu digo e repito:

Não toque de qualquer maneira, procure a melhor posição.

Postura: Como se posicionar com a viola.

Uma boa postura para tocar a viola, é fundamental para ter um bom desempenho da execução das músicas, etc…

Para que você não tenha nenhum desconforto na hora de tocar, tem que manter a coluna reta, de forma que ela fique bem apoiada sobre a cintura.

Existem vária formas de apoiar a viola, sobre as pernas, os mais comuns são como mostrado nas figuras.

Vale apena destacar que, qualquer uma das posições está correta. Vai do gosto de cada violeiro… vale aquela postura que te deixar com maior conforto para um bom desempenho.

Aqui estão algumas posições como exemplo:

Obs: Não toque de qualquer maneira, procure a melhor posição.

19 de jun de 2008

Introdução ao Estudo do Braço da Viola.

Antes de começar o estudo do braço da viola, precisamos conhecer e aprender alguns movimentos, entre uma nota e a outra, que acontecem quando movemos os dedos no braço entre as casas.

Para se obter uma relação concreta entre os sons musicais, foi criada uma unidade de medida que chamamos de Tom.

Tom

É a unidade de medida musical, que usamos para determinar a distância sonora entre as notas musicais. O tom pode ser dividido em duas partes.

Mas o importante é saber que, quando você está em uma nota e você “pula” de uma casa para outra, este movimento que você fez é de 1 tom.

Quando você está em uma casa, e você “anda” de uma casa para outra, este movimento que você fez é de ½ tom.

Abaixo demonstraremos as 7 notas musicais, com a distância entre elas.


15 de jun de 2008

Cifras

Cifras são símbolos criados para representar as sete (7) notas musicais básicas:

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

Esses símbolos foram tirados das sete (7) primeiras letras do alfabeto maiúsculo.

A B C D E F G

Onde essa forma de representação fica dessa forma, Observe detalhadamente a representação.



11 de jun de 2008

Teoria Musical - 2ª Parte

O Som

Como já disse anteriormente o princípio da música é o som, ele é produzido por movimentos de corpos vibratórios, que transmitem essa vibração para o ar (Ondas sonoras) que chegam aos nossos ouvidos que as interpretam diferenciando suas propriedades como:

Intensidade - É a propriedade do som, ser fraco ou forte. (dinâmica e volume).

Altura - É a propriedade do som, ser grave, médio ou Agudo.

  • Sons Graves (baixos mais grossos).
  • Sons Agudos (altos mais finos).

Timbre - É a qualidade e característica particular que nos permite reconhecer sua origem. Exemplo: Podemos observar um cantor interpretando, cantando bem suave ou soltando a voz bem forte, isto é Intensidade.

Cantando agudo como voz de mulher ou baixo (grosso), isto é Altura.

Podemos identificar de quem é a voz pelas qualidades e características, isto é reconhecer o seu Timbre.

A Música

A Música é constituída por três elementos:

Ritmo - Elemento primordial e mais primitivo é a divisão ordenada do tempo, a pulsação, a batida da música.

Melodia - É a sucessão de sons (uníssonos) em seqüência, repetindo ou variando tempo, altura e intensidade.

Harmonia - É o conjunto de sons combinados simultaneamente, formando acordes.

A Harmonia é a ciência da combinação dos sons, um assunto profundo que abordaremos mais adiante.

Isto é apenas uma introdução com definições básicas e elementares para começarmos a ver cada assunto mais profundamente.

Teoria Musical - 1ª Parte

Teoria Musical é tida por muitos como uma coisa chata e difícil, mas quando compreendida torna-se fácil e muito interessante, pois nos fará entender, questionar, definir e escrever o que tocamos ou mesmo cantamos. A teoria musical pode ser lida e estudada em qualquer parte do mundo graças a sua padronização, quando a conhecemos e a dominamos, temos acesso a ilimitadas matérias para estudo.

Música é a arte de expressar nossos sentimentos através dos sons e a Teoria é o conjunto de conhecimentos que propõe explicar, elucidar e interpretar o que ocorre nesta atividade prática e é uma importante ferramenta na formação de conceito, metodologia de estudo, maneira de pensar e entender o que fazemos. É a parte científica do estudo da música.

É bom saber que a Teoria só fará sentido se puder ser aplicada na prática, pois a teoria sem prática é como fé sem obras.

Portanto, música, além da ciência dos sons, é Arte e Criatividade, e apesar de todo o conhecimento teórico, o som, princípio básico da existência da música, é gerado pela prática. Enfim, a prática e a teoria devem caminhar juntas.

8 de jun de 2008

A origem do nome das notas musicais.

Em nosso sistema musical, temos um sistema que possui sete (7) notas musicais, chamadas de notas naturais.

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

O nome das notas musicais tem a sua origem na música medieval. Foi Guido d'Arezzo, um monge italiano, que criou este sistema de nomear as notas musicais.

Seis das sílabas foram tiradas das primeiras 6 frases do texto de um hino feito a São João Baptista.

UT QUEANT LAXIS
RESONARE FÍBRIS
MIRA GESTORUM

SOLVE POLLUTI
LABBI REATUM
SANTE IOHANNES

Que significa algo como, "Para que nós, servos, com nitidez e língua desimpedida,o milagre e a força dos teus feitos elogiamos,tira-nos a grave culpa da língua manchada ó São João!

Mais tarde o maestro italiano Giovanni Battista Doni, percebendo que Ut não era fácil de ser cantada.

Mudou por uma sílaba mais cantável, mudou-o para Dó, utilizando a primeira sílaba do seu sobrenome. Foi adicionada também a sílaba Si, como abreviação de Sante Iohannes (São João).





6 de jun de 2008

Cordas da *Viola Caipira*

A viola tem no total 10 cordas, que são tocadas em pares.
O 1º par, que é o mais agudo é afinado em uníssono (mesma nota, na mesma altura).

O 2º par, também será em uníssono (mesma nota, na mesma altura).

O 3º, 4º e 5º par, serão afinados em oitavas, (mesma nota, mas com diferença nas alturas de uma oitava acima).

Veremos agora o cavalete da viola que mostra em detalhe as cordas, colocadas em pares.



3 de jun de 2008

*Anatomia da Viola Caipira.*

Antes de qualquer aprendizado, é preciso conhecer a nossa amiga fiel.

O instrumento é dividido em 4 partes: corpo, braço, mão e parte elétrica.

Vamos ver em detalhe cada um deles. Tome a figura da viola como exemplo:

Corpo

O corpo pode ser eletro acústico ou acústico. O corpo acústico certamente é o mais popular.
Já os eletros acústicos são muito procurados.

Mão
A Mão encontra-se no início do braço; e nela localizam-se as tarraxas.
Braço
O braço é composto por trastes.
Trate
São filetes de ferros que fazem as várias divisões, onde se formam as casas.
Casa
Cada casa tem sua numeração correspondente: 1,2,3,4... Contando do início do braço.
Cavalete
É a sustentação do rastilho.
Rastilho
O rastilho fica encaixado no cavalete e é encarregado de transmitir a vibração das cordas à caixa de ressonância.
Pestana

Fica no início do braço da viola. A pestana possui entalhes por onde passam as cordas, e ajustam a distancia entre elas, é ela que regulará a altura das cordas, em relação ao braço.
Boca

É o local por onde passa o som da caixa de ressonância (Corpo).
Tarraxas
As tarraxas servem para ajustar as cordas da viola, apertando ou soltando. Cada corda tem uma tarraxa correspondente.
Roldanas
A roldana; é usada para colocar a alça ou a correia para apoiar a viola, posicionando-se em dois locais da viola.

A história da *viola caipira*

A viola caipira, também chamada simplesmente de viola é um instrumento musical de cordas.

Existem várias denominações diferentes para Viola, utilizadas principalmente em cidades do interior: viola de pinho, viola caipira, viola sertaneja, viola de arame, viola nordestina, viola cabocla, viola cantadeira, viola de dez cordas, viola chorosa, viola de queluz, viola serena, viola brasileira, entre outras.

A viola tem características muito semelhantes ao violão. Tanto no formato quanto na disposição das cordas e acústica, porém é um pouco menor.

Tem sua origem em Portugal. Chegou ao Brasil trazido por colonos portugueses de diversas regiões do país. Existem diversos tipos de afinações para este instrumento, sendo utilizados de acordo com a preferência do violeiro. As mais conhecidas são Cebolão, Rio Abaixo, Boiadeira e Natural.

A disposição das cordas da viola é bem específica: 10 cordas, dispostas em 5 pares. Os dois pares mais agudos são afinados na mesma nota e mesma altura, enquanto os demais pares são afinados na mesma nota, mas com diferença de alturas de uma oitava. Estes pares de cordas são tocados sempre juntos, como se fossem uma só corda.

Uma característica que destaca a viola dos demais instrumentos é que o ponteio da viola utiliza muito as cordas soltas, o que resulta um som forte e sem distorções, se bem afinada. As notas ficam com timbre ainda mais forte, pois este é um instrumento que exige o uso de dedeira ou principalmente unhas compridas, já que todas as cordas são feitas de aço e algumas são muito finas e duras.

Quase todas as violas, por tradição, carregam pequenos chocalhos feitos de guizo de cascavel, pois segundo a lenda, tem poder de proteção para a viola e para o violeiro. Segundo contam os violeiros de antigamente, o poder do guizo chega a quebrar as cordas e até mesmo o instrumento do violeiro adversário.

A viola é o símbolo da original música sertaneja, conhecida popularmente como moda de viola ou música raiz. Estas são tocadas geralmente por duplas de violeiros, vestidos com roupas tradicionais do sertão brasileiro: chapéu de palha, camisa, calça e botinas. Entre as duplas de violeiros mais conhecidas, podemos destacar: Tião Carreiro e Pardinho, Tonico e Tinoco, Liu e Léu, Vieira e Vieirinha, Zé Carreiro e Carreirinho, além de violeiros que se destacaram individualmente, como Nestor da Viola, Toninho Ramos, Almir Sater, Renato Teixeira, entre outros.

Retirado do site: www.wikipedia.org

 
Viola Sem Fronteira -2.008- Todos os Direitos Reservados / Por W.Rweb